Pilates é eficaz no tratamento da Fibromialgia

A fibromialgia é uma Síndrome reumática de etiologia desconhecida, que ocorre predominantemente em mulheres na faixa etária de 30- 55 anos. É caracterizada por dor musculoesquelética crônica e generalizada, em pontos específicos, dolorosos á palpação (tender points). Segundo o Colégio Americano de Reumatologia, uma pessoa só será diagnosticada com Fibromialgia, quando se observa dor generalizada durante pelo menos três meses em 11 ou mais dos 18 pontos de pressão.

Os 18 tender points (pontos dolorosos) para a Classificação da Fibromialgia: 1) região occipital 2) borda médio-superior do trapézio 3) músculo supraespinhoso 4) quadrante superior-externo do glúteo 5) grande trocanter 6) região equivalente entre os espaços vertebrais de C5-C7 7) junção da segunda costela 8) 2 centímetros abaixo do epicôndilo lateral e 9) borda medial do joelho.

A dor é o principal sintoma da fibromialgia, por vezes, o nível da dor é tão intenso, que interfere no trabalho, nas atividades de vida diária e na qualidade de vida dos pacientes e o seu controle é um dos grandes objetivos do tratamento.
O quadro clínico se caracteriza por dor difusa, alteração da qualidade do sono e do humor, fadiga, parestesia, cefaleia, edema subjetivo, rigidez articular, tonteira, zumbidos, Síndrome do Pânico, precordialgia atípica e alterações digestivas, o que confunde o diagnóstico e atrasa o início do tratamento. Mudança no estilo de vida, atividade física regular, suporte psicológico e utilização de drogas específicas podem alterar o curso da história natural da doença e aliviar o sofrimento do paciente.
O tratamento da FM preconiza controle do quadro álgico por meio de estratégias globais de abordagem interdisciplinar, com intervenções nos âmbitos físico, farmacológico, cognitivo-comportamental.
A FM afeta negativamente na qualidade de vida dos pacientes. O impacto global envolve aspectos pessoais, profissionais, familiares e sociais, correlacionando-se fortemente com a intensidade da dor, fadiga e decréscimo da capacidade funcional.
Há diversos motivos para justificar a atividade física nesta síndrome, dentre elas o aumento de neurotransmissores como a serotonina e o aumento de hormônios como o GH (hormônio do crescimento), além de outras alterações sistêmicas que contribuem diretamente para a melhora da dor, da qualidade do sono, da fadiga, da ansiedade e de outros sintomas. Outro benefício da atividade física é a possibilidade de socialização, contribuindo por influenciar positivamente alguns aspectos psicológicos. Os exercícios físicos têm representado a intervenção não medicamentosa mais empregada e estudada na fibromialgia.
O objetivo do Pilates, é a melhora significativa da flexibilidade, enfatizando o fortalecimento do CORE (músculos do tronco e coluna), postura, coordenando a respiração com os movimentos. Como descrito anteriormente, este método tem sido muito utilizado na reabilitação de patologias músculo esqueléticas, como na Fibromialgia, pois o fortalecimento e alongamento muscular estão presentes a todo momento nos exercícios de forma holística, suave e progressiva, sempre respeitando a fisiologia muscular e biomecânica articular. Em vários estudos, resultados positivos foram observados em pacientes com dor lombar baixa, que realizaram exercícios de Pilates. Estes resultados foram atribuídos, ao treinamento especifico da musculatura do CORE, e a melhora da mobilidade da coluna e articulações.
Podemos observar que muitos pacientes com Fibromialgia, se sentem cansados e desconfortáveis como resultado da interrupção do sono profundo, e desta maneira, podem ter dificuldades em realizar exercícios aeróbios. Pilates em particular, é indicado nestes casos, pois os exercícios são realizados de forma isométrica e causa menos fadiga que os exercícios aeróbicos. Além disso, por apresentar um ambiente tranquilo para a prática, a conexão de mente e corpo, somados á técnica de respiração, movimentos fluidos e centralizados, também promove o relaxamento, diminuindo a tensão muscular. A liberação de hormônios e neurotransmissores são estimuladas, e ao término de cada aula, o individuo se sentirá revigorado e com uma incrível sensação de bem estar.
A fibromialgia não tem cura, por isso é importante que o paciente com essa síndrome seja incentivado a persistir nas sessões de Pilates e no tratamento médico, para que mantenha uma qualidade de vida ideal.




Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *